Nos encontros da Mafia italiana, só que entre um tango e outro.

November 26, 2018

Uma noite de sexo à italiana; Não resumiria diferente!

Pois foi elegante, cheia de gestos, música, perfume, boa comida e muita intensidade, típica de uma reunião de italianos.

Não senhores, não é a música tema do Poderoso Chefão que vai tocar nesse momento, nem tampouco alguma música italiana: com vocês, Por una Cabeza, de Carlos Gardel, afinal é por una cabeza que ardemos em desejo ou desilusão.

Faltavam 10 minutos para às 21:00 e tudo estava pronto aguardando a chegada de nossos lindíssimos Voluptianos. Quanta elegância vinda de vários lugares do Brasil e até de outro país! Como fiquei feliz com a presença de vocês! Foi uma surpresa maravilhosa.

A iluminação estava linda, pensada em detalhes para refletir a beleza dos detalhes de todos os casais e singles que entraram por aquelas portas, na noite do dia 24 de novembro de 2018, que com certeza ficará para sempre marcado em minhas lembranças e na de todos que nos prestigiaram com tanta beleza e requinte. Dessa vez nos superamos na iluminação, não é?

Um casal vindo de Brasilia foi o primeiro a chegar. Ele muito elegante, bem vestido e ela linda, com um cabelo preto chanel.  Sensualíssima!

À todos que como eles vieram de longe, meu muitíssimo obrigado!

Um a um chegavam... Com vestidos longos brilhantes, curtos pretos sensuais, belíssimas flappers, Black Tie, suspensórios e chapéus. Todos harmonizavam com as piteiras de 1920, os charutos, e a música que tocava ao fundo. 

Uma das nossas musas de sábado usava um longo brilhante rosé com uma fenda que ia até o fim das costas. Sem dúvidas ela foi uma das maiores decepções que nossos singles masculinos já tiveram, quando viram que em seu pulso estava a pulseira rosa que ilustrava a preferência do casal por ménage à trois feminino.  Que show de sensualidade...

No decorrer da noite, aquela loura de vestido longo deitada no colo de seu esposo como se dançasse tango, deitava seus cabelos para trás no sofá do lounge enquanto ele beijava seus seios, deixando todos em estado de transe. Eu fiquei estática por alguns minutos vendo essa cena, enquanto tocava de fundo Por una Cabeza, explicando porque eu iniciei esse relato com essa música que marcou o mundo!

 

Passado algum tempo, o casal de Brasilia estava no jardim de inverno saboreando um vinho e tornando o ambiente excitante ao se tocarem com tamanho carinho e desejo. Apesar de estar falando com várias pessoas ao mesmo tempo eu observo todos os detalhes. Aliás, eu sou voyeur por natureza! Esse é um dos meus maiores fetiches. Tanto eu quanto o Edgar, adoramos ver a interação acontecer de forma natural e gradual.

Antes da noite começar tivemos um susto: o temporal fez com que ficássemos sem energia no bairro inteiro, o que teria acabado com a linda iluminação que preparamos. Contudo, tenho certeza que as luzes de emergência não deixariam a noite deixar de ser tão boa quanto foi. Felizmente voltou nos exatos 10 minutos antes das 21:00, quando eu disse no início que tudo estava pronto. E não é que fomos presenteados com uma lua romântica no céu e uma noite de calor pós temporal? Fomos agraciados!

Saladas,  canapés com pimenta polonesa, receita da minha família de Varsóvia, patê de tomate seco, caviar e uma série de guloseimas deliciosas. Para o jantar tivemos conchiglione recheado com almôndegas com um molho ragu, receita que minha avó italiana fazia para os Matarazzo na fazenda, em 1950. Um gnocchi recheado de creme na cama de molho, fagotinni quatro queijos e algumas sobremesas e frutas. Foi difícil parar de comer. Qual é o meu lema? Pode ser que não tenha sexo. Comida com certeza terá! (risos)